Manual da integração #1: a experiência gastronômica

Pesquise sobre as especialidades locais. Evite a internet, pergunte aos amigos, colegas de trabalho, pessoas locais.

Depois dê o seu toque pessoal à receita. Integrar-se não significa esquecer quem você é e virar alemão. É adaptar-se à cultura local e trazer o que tem de bom na sua como contribuição. Simbolicamente falando, pegue a receita local e acrescente algo seu como contribuição.

Eu descobri que um dos pratos mais tradicionais da Baviera é o Spätzle. Provei desta delícia pela primeira vez na casa de um amigo local, que preparou a versão mais tradicional: com queijo.

Um bom bávaro diz, obviamente, que é uma especialidade bávara. Mas dizem outros não-bávaros que trata-se de uma especialidade schwäbisch, ou seja, original de Schwaben, região situada entre os estados de Baden-Würtemberg e Baviera. Para mim é especialidade do sul da Alemanha. Ponto.

Spätzle é uma massa cozida típica, e pode ser servida como prato principal ou como acompanhamento de carnes, por exemplo. É uma das muitas especialidades de tempos de escassez, onde era preciso ser criativo com poucos e simples ingredientes, como farinha e ovos, por exemplo.

Perguntei a um colega do trabalho pela receita. Receita de um “local”, por assim dizer. Muito feliz pelo meu interesse, o rapaz providenciou a descrição da receita básica e de três variações do Spätzle.

No dia seguinte ele recebeu uma foto da variação mais tradicional, preparada na noite anterior, com um “toque a mais”.

Modo de preparo:

Encher uma panela com 3/4 de água, acrescentar sal e um pouco de óleo e deixar ferver. Enxaguar o Spätzlehobel com água fria, preencher o recipience móvel com massa – não sobre a panela, senão a massa “gruda” – e, com leve pressão, mover o recipiente pra lá e pra cá sobre a panela, até a massa ter passado toda. O Spätzle está cozido quando boiar na panela. Retirar com a escumadeira e deixar escorrer. Dica para a limpeza do Spätzlehobel: limpar os restos de massa com uma escova e água fria, e depois lavar normalmente. Não lavar na máquina.

Mas Jane, o que é um Spätzlehobel?

Resposta:

O tal recipiente é a parte branca, que corre para lá e para cá. É possível usar um espremedor de babatas para fazer passar a massa, se ela tiver uma base alternativa com furos grandes. A massa tem que passar pelos furinhos e cair na panela em forma de “gotinhas”.

Agora os ingredientes.

Receita básica (para 4 pessoas):

  • 500g de farinha de trigo
  • uma pitada de sal
  • 4 ou 5 ovos
  • 1/8 a 1/4 de água

Misturar todos os ingredientes até formar uma massa macia. (Este video aqui mostra a consistência da massa direitinho, lá pelos 2 minutos). A massa não pode ficar firme! É “molenga” mesmo. E o vídeo mostra tanto o modo de fazer com o Spätzlehobel, quanto com o espremedor de batatas.

Kässpätzle (Spätzle de queijo)

Esta é a variação mais tradicional. Prepare a receita básica. Em uma forma intercale camadas de massa com camadas de queijo emental. Cubra tudo com uma camada de cebola tostada. Leve ao forno a 60 graus por cerca de dez minutos, só para derreter o queijo.

A minha contribuição foi acrescentar bacon torradinho junto com a cebola. O resultado está na foto acima.

Spätzle integral

Receita básica, substituindo a farinha de trigo por farinha integral. Eventualmente pode-se misturar a farinha integral com farinha de trigo na proporção de 2/1, caso a massa fique muito firme. Fica ainda melhor se, depois de pronto, fritar com um ovo em uma frigideira. Servir com salada.

Spinatspätzle (Spätzle de espinafre)

  • 400g de farinha de trigo
  • 2 a 3 ovos
  • 1/4 litro de água
  • 250g de espinafre fresco picado e cozido.

Temperar tudo com sal e noz moscada e misturar até formar uma massa com a consistência descrita acima. Servir com molho de carne moída.

E por fim, Späzle é uma especialidade que dá margem para muita criatividade. A receita básica pode ser servida como acompanhamento do clássico Schweinebraten* ou outros tipos de carne, por exemplo. Também é possível fazer a variação de espinafre usando outras verduras ou ervas.

Eu ainda estou pensando como integrar algum elemento da culinária brasileira no Spätzle… De preferência diretamente na massa.